Partilhar

A crise COVID-19 ensinou-nos que a pandemia e as medidas de contenção não afetam todos da mesma forma. Entre o sector privado, as Micro, Pequenas e Médias Empresas (MPME), especialmente as lideradas por mulheres, jovens, minorias étnicas e migrantes, foram as que mais sofreram. Um inquérito do Centro Internacional de Comércio sobre o impacto da COVID-19 entre empresas de 136 países mostrou que quase 62% das pequenas empresas lideradas por mulheres foram fortemente afetadas pela crise, em comparação com pouco mais de metade das empresas lideradas por homens, e as mulheres são 27% mais propensas a não sobreviver à pandemia.

À medida que os governos vacinam as suas populações, o mundo continua a lidar com vários outros desafios que incluem os efeitos contínuos das alterações climáticas, a perda de biodiversidade, e a poluição. Se não forem atenuadas, espera-se que estas três crises tenham graves implicações negativas para o crescimento económico, saúde humana e ecossistemas, emprego e meios de subsistência.

As MPME formais e informais constituem mais de 90% de todas as empresas e representam, em média, 70% do emprego total e 50% do PIB. Como tal, são fatores-chave na consecução de uma recuperação verde.

Dia da MPME 2021: celebrar o dia através de ideias de colaboração que facilitam o impulso empresarial
A Assembleia Geral declarou 27 de Junho Dia das Micro, Pequenas e Médias Empresas, para sensibilizar o público para a sua contribuição para o desenvolvimento sustentável e para a economia global.

Em 2021, o tema é “MSME 2021: chave para uma recuperação inclusiva e sustentável”. É por isso que a ONU acolherá uma série de eventos para explorar como as MPMEs – a espinha dorsal das nossas economias – podem ser equipadas para assegurar uma recuperação pósCOVID-19 equitativa e sustentável.